segunda-feira, 18 de julho de 2011

A LÓGICA DE JESUS E DE SÃO FRANCISCO

O texto do Evangelho proclamado ontem na liturgia (Mt 13, 24-43), nos fez ouvir três parábolas do Reino dos Céus: a parábola do trigo e do joio, do grão de mostarda e do fermento. Como sabemos pela boca do próprio Jesus, ele ensinava através de parábolas, isto é, de comparações, que prendiam a atenção do ouvinte simples, da multidão que ia ouvi-lo, constituída em sua maioria de gente pobre e que se sentia contemplada por uma linguagem compreensível à sensibilidade dos “iletrados”. Outra era a linguagem dos doutores da lei, dos escribas e fariseus que falavam difícil, distante da realidade do povo simples, e que muitas vezes até chegava a humilhar a incapacidade intelecutal da maioria da gente! Daí porque Jesus justifica sua opção pelas parábolas e cita o livro dos Salmos: “Abrirei a boca em parábolas; proclamarei coisas ocultas desde a formação do mundo” (Sl 78,2).

O Reino é uma palavra muito importante na pregação de Jesus. O Reino significa o novo tempo inaugurado com a vinda do Messias prometido. Assim começa a pregação de Jesus: “O tempo está realizado e o Reino de Deus está próximo. Convertei-vos e crede no Evangelho” (Mc 1,15). O Reino de Deus ou dos Céus, é uma nova totalmente nova da história humana, uma nova realidade na qual Deus realiza Sua vontade através de Jesus e dos homens e mulheres que acolhem e vivem a mensagem do Evangelho.

O Reino de Deus, sem fazer acepção de pessoas, privilegia os pobres, diferente dos reinos e dos governos deste mundo que privilegiam os que já têm e querem sempre mais, motivados pela ambição e que não param de explorar os que nada têm!

O Reino de Deus ou dos Céus é orientado por uma nova lógica, presente nas parábolas que Jesus nos contou ontem na eucaristia: a parábola do trigo e do joio nos quer ensinar que apesar de Deus plantar e querer que o trigo dê frutos e alimente a humanidade, já há quem na calada da noite, semeie o joio para contaminar a plantação e abortar o projeto de Deus. Entretanto Deus deixa crescer os dois que se parecem muito enquanto pequenos, mas no momento da colheita é possível ver quem é quem: o trigo e o joio. A nossa lógica é logo destruir o joio porque agimos dividindo o mundo entre bons e maus, entre justos e injustos. Certamente julgando-me do lado do trigo! A paciência de Deus manifesta a presença do Reino que dá chances a todos e que espera a transformação do injusto em justo. Em toda a pregação de Jesus aparece a verdade unida à misericórdia, a exigência unida ao amor.

Na parábola do grão de mostarda, aprendemos que Deus escolhe o que é pequeno e insignificante para confundir a sabedoria e a lógica deste mundo. Infelizmente, com facilidade, embarcamos na lógica da grandeza e da prepotência deste mundo. Deixamos, assim, de apoiar os pequenos projetos e iniciativas que muitas vezes dão mais resultado do que os grandes projetos, que são grandes porque sustentados por muita propaganda e, por vezes, falsas.

A parábola do fermento colocado na massa pela mulher mostra-nos a força e o dinamismo do fermento que em pequena quantidade misturada à massa, ao invés de perder-se, a faz crescer, levando-a ao ponto do pão. Assim é a vida de quem faz do Reino de Deus a sua meta e do Evangelho de Jesus seu caminho diário: é capaz de transformar pelo exemplo, de fazer crescer pelo testemunho uma sociedade contaminada pelo egoísmo, pela violência e conseqüentemente pela falta de sentido para a vida!

Foi desta lógica do Reino, pregada e inaugurada por Jesus, que viveu São Francisco de Assis, há mais de oitocentos anos. E desta lógica que devemos viver para dar sentido à vida neste planeta. Desta lógica, acolhida no coração e posta em prática no dia a dia que reverteremos o quadro ameaçador que nos amedronta a todos e em todos os níveis: pelo diálogo conseguiremos a paz, pela partilha a justiça, pela convivência fraterna entre nós e a criação, conseguiremos o equilíbrio ecológico capaz de garantir a vida neste planeta.

Para muitos isso pode parecer um sonho ou mesmo uma fantasia! Para quem entra na lógica do Reino e do Evangelho de Jesus é o caminho da sabedoria que o Altíssimo nos propõe caminhar para converter nosso coração e nos fazer construtores da vida, da justiça e da paz, porque somos seus filhos.

Frei Marconi Lins, OFM

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...