terça-feira, 15 de março de 2011

A QUARESMA E A CAMPANHA DA FRATERNIDADE

Os tristes acontecimentos no Japão, devastado por um terremoto de 8,9 graus na escala Richter, seguido de um tsunami na sexta-feira passada, dia 11, que até o momento matou quase 1898 pessoas, enquanto mais de 15 mil continuam desaparecidas, mostram claramente que a “mãe terra” nos está dizendo alguma coisa! Aqui mesmo no Brasil, nos últimos dias, mais de 21 mil pessoas estão desabrigadas sem contar as mortes ocorridas por causa das chuvas caídas na região sul de nosso país!

Por mais que se diga que os desastres naturais são inevitáveis, pois nosso planeta está mudando constantemente, e que, por exemplo, o Japão está no chamado “circulo ou anel do fogo do Pacífico”, região onde os terremotos acontecem permanentemente, a verdade é que as mudanças climáticas são profundamente sentidas por todos nós, sobretudo o aquecimento global.



A Igreja Católica do Brasil iniciou na quarta-feira passada, dia 9, o tempo da quaresma, tempo de conversão, de mudança de vida que nos preparará, durante quarenta dias, para a celebração do mistério pascal de Jesus – Sua paixão, morte e ressurreição – que constitui o centro de nossa fé e vida cristã.

Crer Naquele que veio para que tenhamos vida em abundância, é viver uma vida nova, pautada por atitudes de respeito para com a vida dos outros e também para com a vida em nosso planeta. Por essa razão, dentro da Quaresma, nossa Igreja propõe que olhemos concretamente para uma realidade que nos diz respeito e que questiona nossa vida pessoal e comunitária, como a gravidade do aquecimento global e as mudanças climáticas.

Ser cristão, crer que Jesus morreu e ressuscitou para que tenhamos vida e vida plena, é acreditar na responsabilidade que temos com a vida que está em nós, nos outros e em toda a natureza. Assim, a Campanha da Fraternidade 2011, com o tema Fraternidade e a vida no planeta e o lema “A criação geme em dores de parto”, citação tirada da Carta de São Paulo aos Romanos (8,22) quer ser uma ajuda para vivermos o tempo quaresmal na busca sincera de vivermos o nosso compromisso com a mensagem do Evangelho de Jesus Cristo.




Ontem, em Ipojuca, aqui em Pernambuco, tive a oportunidade de participar de um encontro onde estiveram presentes um bom número de paroquianos, representantes do governo municipal, de empresários da industria açucareira, ambientalistas onde a mensagem da Campanha da Fraternidade foi refletida e aprofundada concretamente, dada as transformações que essa região de nosso estado tem sofrido com os impactos provocados pela implantação de muitas indústrias no entorno do Porto de Suape, bem como pelo projeto de uma grande barragem que terá impacto sócio-ambiental muito grande.

Na Campanha da Fraternidade deste ano, alegra-nos a referencia a São Francisco, sua maneira fraterna de se relacionar com todos os seres criados e com todo o universo que tem sua origem no amor criador do Altíssimo, onipotente e bom Deus, como canta o pobre de Assis em seu Cântico das Criaturas. Também nos é pedido no texto-base da Campanha da Fraternidade que resgatemos a riqueza do relacionamento de São Francisco com as criaturas, valorizando suas atitudes e contextualizando-as em nosso modo de viver hoje, num mundo consumista como o nosso. Aproveitemos para fazermos nossa parte pela vida de nosso planeta, num projeto de sustentabilidade motivado pelo amor evangélico com o qual Francisco de Assis viveu sua relação com todas as criaturas!

Frei Marconi Lins, OFM

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...